Campo Grande (MS) – O maranhense Marcelo Medeiros, bicampeão do Rally dos Sertões nos quadriciclos, já está em Campo Grande (MS) para a sua nona participação na prova off-road mais longa do país. O piloto da Taguatur Racing Team e seu Yamaha 700 vão se submeter, a partir deste sábado, dia 24, a mais de 4,8 mil quilômetros, entre deslocamentos e especiais cronometradas, desde a capital do Mato Grosso do Sul até a cidade de Aquiraz, na mesorregião metropolitana de Fortaleza, no Ceará, com chegada prevista em 1º de setembro.

Considerado um dos favoritos da categoria, Medeiros considera que esta edição dos Sertões terá um significado particular. “Todo ano é um ano diferente. Nestes nove anos de rali, ganhamos maturidade. Não é só acelerar. Temos que dar importância também a chegar inteiro. O importante é manter a cabeça no lugar para gerenciar qualquer problema, seja físico ou do equipamento, para não ficar no meio do caminho”, analisa o piloto campeão das edições de 2012 e 2015, além de deter o vice em 2013.

“Não tivemos treino. Nossa preparação foi durante as competições que participamos e será na própria corrida. Estamos programados para atender toda a necessidade da equipe durante os dias de prova. O segredo é ter tranquilidade para que nada saia errado, apesar da ansiedade.  O mais importante é manter a constância e ritmo para concluir as oito etapas e subir ao pódio.”, ressalta o maranhense.

Nestes primeiros momentos em Campo Grande, até sábado, Marcelo e a Taguatur Racing Team passarão pelo credenciamento, vistoria de equipamentos pela Confederação Brasileira de Motociclismo, briefing técnico, além da tomada de tempos e a largada promocional. Patrocinados pela FC Oliveira, por meio da Lei de Incentivo ao Esporte, piloto e equipe contam com uma forte estrutura de apoio para resistir durante os oito dias de prova, incluindo mecânico, auxiliar e cozinheiro. Tudo isso para encarar uma prova que desafia a potência da Yamaha 700 e a resistência física e psicológica do piloto.

A 27ª edição do Rally dos Sertões promete um roteiro ainda mais desafiador. Partindo de Campo Grande, neste sábado, 24 de agosto, serão oito dias de intensos obstáculos. Os participantes vão percorrer todo tipo de estradas, terrenos e trilhas, nos seis estados (Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Tocantins, Piauí e Ceará) e nove cidades do roteiro, que destaca os diferentes aspectos do sertão brasileiro. No total, serão 2.832 km de especiais (trechos cronometrados) em um trajeto que promete desafios: trechos sinuosos, terrenos de cascalho, piçarra, pedras grandes e lajes além de poeira, lama, calor e umidade. Mas também presenteia os amantes do off-road com paisagens incríveis a serem descobertas entre as belezas do cerrado brasileiro.

Outro destaque da competição é a tradicional Etapa Maratona, distância que deve ser encarada sem o apoio de manutenção da equipe. Ou seja, caso o quadriciclo apresente algum problema, o próprio piloto terá que fazer os reparos. No Sertões 2019, a maratona inicia no Jalapão e finaliza nos cânions do Bom Jesus (PI), totalizando 1300 km de resistência.

Marcelo Medeiros conta com patrocínio da FC Oliveira, através da Lei Estadual de Incentivo ao Esporte, no Sertões e o apoio é da Taguatur Fiat.

Roteiro do Sertões 2019

No total,  serão percorridos 4.887,59 km sendo 2.858,46 km de especiais, percentual de Especiais de 58,4%.

1ª etapa – 25/08

Campo Grande – MS/ Costa Rica – MS

DI – 19,69 km

ESP – 437,19 km

DF – 30,54 km

Total: 487,42 km

2ª etapa – 26/08

Costa Rica – MS/ Barra do Garças – MT

DI – 89,77 km

ESP – 533,08 km

DF – 21,51 km

Total: 644,36 km

3ª etapa – 27/08

Barra do Garças – MT/ São Miguel do Araguaia – GO

DI – 111,07 km

ESP – 403,51 km

DF – 250,24 km

Total: 764,82 km

4ª etapa – 28/08

São Miguel do Araguaia – GO/ Porto Nacional – TO

DI – 69,11 km

ESP – 275,76 km

DF – 226,98 km

Total: 570,10 km

5ª etapa – 29/08

Porto Nacional – TO/ São Félix do Tocantins – TO

DI – 141,96 km

ESP – 330,34 km

DF – 2,72 km

Total: 475,02 km

6ª etapa – 30/08

São Félix do Tocantins – TO/ Bom Jesus – PI

DI – 0km

ESP – 535,60 km

DF – 2,25 km

Total: 537,85 km

7ª etapa – 31/08

Bom Jesus – PI/ Crateús – CE

DI – 2,13 km

ESP – 324,98 km

DF – 628,98km

Total: 955,80 km

8ª etapa – 01/09

Tauá (PI)/ Aquiraz – CE

DI – 428,27 km

ESP – 18 km

DF – 5,95 km

Total: 452,22 km

Legenda:

DI – Deslocamento Inicial da Vila Sertões para início da Especial

ESP – Especial (trecho cronometrado)

DF – Deslocamento final para a próxima cidade Anfitriã

Na última quarta-feira (21) os deputados estaduais do Maranhão rejeitaram o veto governamental ao projeto de lei nº 71/2019, de autoria do deputado Felipe dos Pneus (PRTB). O PL autoriza o acesso de personais trainers (educadores físicos) em academias para acompanhamento de seus alunos. Porém, a Lei que protege os educadores físicos pode não prosperar. Duas grandes redes de academia devem recorrer do resultado da votação.

A lei estadual foi inspirada em lei municipal proposta pelo vereador de São Luís, Paulo Victor (PROS). No início deste mês, o juiz Thales Ribeiro de Andrade, da 4ª Vara da Fazenda Pública, suspendeu a eficácia da Lei Municipal nº 6.462/2019 que versava sobre mesmo tema da proposta pelo deputado Felipe. Os dois parlamentares tentaram encaixar a matéria em direito do consumidor, entretanto, a lei que visa impor regras na relação entre educadores físicos e empresários tem que ser resolvidas no direito civil, competência da União. Desta forma, as academias Bodytech e Selfit Academias devem, depois de promulgada, recorrer novamente à justiça.

Mas nem tudo está perdido

O efeito cascata das iniciativas legislativas podem ser resolvidas em Brasília. O deputado federal Gil Cutrim (PDT) também levantou a bandeira dos personais trainers. E se conseguir aprovar a matéria em Brasília, os profissionais de educação física poderão comemorar de vez a vitória. Conforme apurou o blog, depois da legislação municipal apenas duas academias continuam cobrando taxa para profissionais/alunos para permitir a presença dos profissionais na academia. Que são as duas autoras dos recursos na justiça.

A volta da “nova CPMF” está descartada nas discussões da reforma tributaria. Pelo menos foi o que disse o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). A criação da nova contribuição foi defendida pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

A volta de um tributo sobre transações financeiras é uma bandeira de Marcos Cintra, secretário da Receita Federal, mas já foi descartada pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL).

“Não está na pauta a criação de novo imposto, até porque o presidente da República se manifestou contrário à criação de novo imposto. Como o ministro Paulo Guedes é ministro do governo do presidente Bolsonaro, acho que ele vai encaminhar uma matéria consensuada com o presidente da República”, disse Alcolumbre à Folha de São Paulo.

O Plenário da Câmara aprovou na noite desta quarta-feira (21), por 320 votos a 61, o Projeto de Lei 3.715/19, que autoriza a posse de arma em toda a extensão de uma propriedade rural. A medida garante ao dono de uma fazenda, por exemplo, o direito de andar com uma arma de fogo em qualquer parte de sua propriedade. Atualmente, a posse só é permitida na sede.

Durante a votação, os deputados rejeitaram uma emenda que permitiria incluir no projeto de lei um dispositivo que alteraria o Estatuto do Desarmamento para garantir porte de arma ao proprietário rural. 

A segurança no campo foi o elemento central durante as discussões do projeto da proposta. Os defensores da proposta argumentaram que os agricultores precisam ter condições de se defender da criminalidade, enquanto os que se posicionavam contra o PL diziam que a medida poderia agravar a violência no campo.

O relator do projeto, deputado Afonso Hamm (PP-RS), disse a proposta tem o apoio do setor rural e que vai beneficiar os pequenos proprietários. “A arma, que nas mãos dos bandidos é uma ameaça à sociedade, nas mãos do cidadão de bem é garantia da paz social, porque ele vai usá-la em defesa da sua vida e de seus familiares”, disse. 

O deputado Jorge Solla (PT-BA) disse que a posse estendida vai fomentar ainda mais a violência no campo – seja contra movimentos sociais, índios ou trabalhadores. “Só quem tem a ganhar são as milícias, são os fabricantes de arma, são os que promovem a violência no campo”, disse.

O projeto segue para sanção presidencial.

Aconteceu uma cena curiosa nesta quarta-feira (21) na Assembleia Legislativa do Maranhão. O deputado Wellington do Curso (PSDB) pediu para falar por 30 minutos no expediente final, mas ninguém ficou para ouvir. É necessário explicar a razão.
Hoje, os deputados derrubaram o veto governamental da Lei que permite o acesso de educadores físicos (personal trainners) em academias  para aqueles profissionais que estejam acompanhando seus alunos. O deputado Felipe dos Pneus (PRTB), autor do projeto, pediu para que os profissionais pudessem entrar no plenário para uma foto com todos parlamentares. O presidente Othelino Neto (PCDOB) explicou que o regimento interno não permite acesso no plenário sem terno/gravata e que acabando a sessão todos poderiam entrar.


Não tinha nada mais a tratar. Mas o deputado Wellington pediu, com todo seu direito, a palavra por 30 minutos no expediente final. Ao começar seu discurso, todos os deputados saíram para o hall do Plenário Nagib Haickel para registrar o momento com os profissionais. O tucano ficou falando pra (quase) ninguém.


Ficou curioso para saber o que deputado tinha pra falar?

O deputado federal Aluísio Mendes deve ser incorporado ao Partido Social Cristão (PSC) no próximo dia 30, em São Luís. A Executiva Nacional do PSC fará reunião deliberativa para mudanças na legenda no estado. Entre novos quadros no PSC, um dos nomes que deverão ser confirmados é o do deputado Aluísio Mendes, hoje no Podemos. A informação é da Coluna Estado Maior, do jornal O Estado do Maranhão.

Com a ida de Mendes para o PSC, o Podemos deve virar reduto do deputado federal Eduardo Braide (PMN). Hoje, o PMN faz parte do rol de partidos nanicos e o pré-candidato à prefeito de São Luís tem que ter um partido que lhe garanta duas coisas: a legenda e estrutura.

No dia 24 de agosto, das 16h às 21h, na Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus (Cantinho do Céu), acontece mais uma edição do Vem e Segue-me. O evento traz uma programação variada, com Louvor, Artes Cênicas, Bate Papo e Interação entre Jovens Católicos. Presença confirmada do Padre DJ Rômulo Leal, que possui um trabalho de evangelização voltado para os jovens. Também serão realizadas as apresentações das vocações, em espaço para grupos, pastorais e movimentos apresentarem seus serviços na igreja.

A programação inicia às 16h com credenciamento, seguido de animação com grupo de louvor. Às 16h45 será realizado um bate papo e uma apresentação teatral. Em seguida é vez da apresentação das vocações nos stands montados no local. Às 18h acontece a Santa Missa, em continuidade à programação será oferecido um lanche e espaço para a pintura no rosto. Na sequencia, um dos pontos altos será o show do Padre DJ Rômulo Leal.

Quem vê o goiano Rômulo Leal no palco fazendo mixagens, nem de longe imagina se tratar de um padre. Apaixonado por música eletrônica e pelo sacerdócio, o religioso consegue conciliar as duas coisas, sendo muito requisitado nos eventos católicos de Imperatriz com sua contagiante Cristoteca, uma forma de levar o jovem para a igreja. Mora nesta cidade faz três anos, atuando com pároco na Paróquia Santa Cruz – Vila Lobão.

O Padre Rômulo Ferreira Leal sempre foi DJ e se tornou padre faz 7 anos. Natural de Goiânia, trabalhou em várias cidades do país como religioso e sacerdote. Entrou para o seminário em 2001, na cidade de Taubaté-SP, fez todo itinerário formativo e foi ordenado sacerdote em 2012, na cidade de Cezarina-GO. Trabalhou na cidade paroquial em Santa Luzia por quatro anos.

INSCRIÇÕES

O Vem e Segue-me é realizado por Paróquias acompanhadas pelos Dehonianos em São Luís. As Inscrições, doação de material de limpeza, são feitas pelo Sympla ou na secretaria da Paróquia Santa Paulina, Santuário de Nossa Senhora da Conceição e Paróquia São Vicente.

CONTATO

Secretária da Paróquia Santa Paulina – (98) 3303-0103 (terça a sexta, das 8h às 17h30) e sábado (8h às 12h).

PROGRAMAÇÃO

Credenciamento – 16h
Animação – 16:30 à 16:45
Palestra – 16:45 à 17:30h
Encenação – 17:30 à 17:45
Apresentação das vocações (stands) – 17:45 à 18h
Santa Missa – 18h
Pintura e Lanche – 19:10h
Show (Pe. Rômulo) – Após a Pintura e Lanche

O deputado Antônio Pereira (DEM) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa na terça-feira (20), para defender a criação do Estado do Maranhão do Sul. O projeto de decreto legislativo foi protocolado no Senado Federal pelo senador Siqueira Campos (DEM).  A proposta já está tramitando na CCJ do Senado.

No pronunciamento, Antônio Pereira lembrou que a criação do Estado do Maranhão do Sul é um assunto histórico para o povo da região Tocantina, do Sul do Maranhão e especialmente da cidade de Imperatriz, digna de querer ser a capital de um novo estado, dentro de um novo momento do Brasil e do Estado do Maranhão.   

O democrata pediu atenção do governador Flávio Dino (PC do B), dos senadores, dos deputados federais, dos 42 deputados com assento na Assembleia Legislativa, das lideranças e da classe política, para tornar uma realidade a criação do Maranhão do Sul, o grande sonho do povo da região Sul do estado.

Antônio Pereira defende união de todos os parlamentares

Em nome do povo do Sul do Maranhão, o deputado Antônio Pereira agradeceu a sensibilidade da senadora Eliziane Gama, por ter assinado o projeto do senador Siqueira Campos.  “Tenho certeza de que essa sensibilidade chegará também aos outros senadores, senador Roberto Rocha e Weverton Rocha”, afirmou.

Em sua fala, Antônio Pereira deixou claro que sua ideia defendida desde o primeiro mandato não é dividir o Estado do Maranhão. “Caminhamos tanto tempo juntos e queremos ser irmãos. Queremos continuar irmãos, dividir as funções, porque nós sabemos que um estado do tamanho do Maranhão é de dimensões que alguns países na Europa não têm a metade”, disse.

Para Antônio Pereira, existe também a questão cultural na Região Sul. “Fomos colonizados pelo povo do Centro-Oeste, do Sul e do Sudeste. Há um pensamento diferente. Peço a compreensão do governador, dos senadores e dos deputados federais. Sem a classe política nós não caminharemos”, assinalou.

Apoio de deputados

Na ocasião, o deputado Antônio Pereira pediu a união de todos numa grande frente parlamentar, para que “possamos acompanhar, não só na Assembleia, mas também no Senado Federal, a questão do plebiscito e da criação do Maranhão do Sul, tão importante para a população do Maranhão do sul e do norte”.

Em aparte, os deputados professor Marco Aurélio, Wellington do Curso, Rigo Teles, Pastor Cavalcante, Arnaldo Melo, José Inácio Lula e Hélio Soares parabenizaram Antônio Pereira pela luta travada desde 2002 para criar o novo estado, e promover o debate acerca da questão em pronunciamento na tribuna da Casa.

Municípios que farão parte

 De acordo com o projeto do senador Siqueira Campos, o Maranhão do Sul seria composto pelos seguintes municípios: Açailândia, Alto Parnaíba, Amarante do Maranhão, Arame, Balsas, Barra do Corda, Benedito Leite, Bom Jesus das Selvas, Buriticupu, Buritirana, Campestre do Maranhão, Carolina, Cidelândia, Davinópolis, Estreito, Feira Nova do Maranhão, Fernando Falcão, Formosa da Serra Negra, Fortaleza dos Nogueiras, Governador Edison Lobão, Grajaú, Imperatriz, Itaipava do Grajaú, Itinga do Maranhão, Jenipapo dos Vieiras, João Lisboa, Lajeado Novo, Loreto, Mirador, Montes Altos, Nova Colina, Nova Iorque, Pastos Bons, Porto Franco, Riachão, Ribamar Fiquene, Sambaíba, São Domingos do Azeitão, São Félix de Balsas, São Francisco do Brejão, São João do Paraíso, São Pedro da Água Branca, São Pedro dos Crentes, São Raimundo das Mangabeiras, Senador La Roque, Sítio Novo, Sucupira do Norte, Tasso Fragoso e Vila Nova dos Martírios.