Um grupo de amigos fazendo o que gosta em um ambiente descontraído, uma grande equipe de profissionais e músicos, todos juntos e instalados temporariamente em um casarão “fenomenal” para um “confinamento criativo”: esse foi o conceito e o sentimento envolvidos na gravação do último álbum do Sorriso Maroto: De Volta Para o Amanhã.

Agora chegou a hora do público poder conferir toda a rotina de criação, que contou com momentos de descontração, diversão, e – principalmente – muito trabalho, no documentário que marca o início das comemorações dos vinte anos de carreira do grupo: a partir de 10 de dezembro, “Sorriso Maroto – A Casa” estará disponível no Now.

Em março de 2016, Bruno Cardoso, Sergio Jr, Cris Oliveira, Fred Araújo e Vini Augusto passaram quase vinte dias reunidos na casa para o desenvolvimento do projeto, que tinha como objetivo ser diferente de tudo aquilo que o grupo já havia feito em sua carreira. E conseguiram.

Esse projeto é realmente diferente de tudo o que já fizemos. Queríamos relembrar o começo de nossa trajetória, quando nos reuníamos para criar, fazer nosso som. Ao mesmo tempo, decidimos mostrar para o público como é o processo de criação, a rotina de gravação, a construção do que a gente leva pra eles. Por isso, resolvemos gravar esses dias na casa, mostrando muita descontração, brincadeira, mas também muito foco e comprometimento. Esse documentário marca o início das comemorações dos 20 anos do grupo e muita coisa ainda vem por aí – explica Bruno Cardoso

Foram cerca de 50 pessoas, entre músicos da banda e equipe de produção, reunidas no casarão na zona sul do Rio de Janeiro; todos com o objetivo de fazer do 11º álbum da banda, com 14 músicas inéditas, algo diferente e inovador. O trabalho durou cerca de 150 horas e, com muita liberdade para a criação, foi possível testar os sons em cada ambiente da casa, transformando tudo em um grande laboratório sonoro.

O álbum, lançado pela Som Livre, foi produzido por Bruno Cardoso, Leandro Oliveira (Lelê) e Sergio Jr., que conduziram as gravações com Jota Moraes, Prateado e Michel Fujiwara, responsáveis pelos arranjos.

A maior casa de espetáculos da cidade de São Luís, o Teatro Arthur Azevedo, reabre na próxima sexta-feira, 08, com extensa programação em comemoração aos 200 anos da casa e com uma grande homenagem ao poeta do povo, João do Vale. A solenidade de reabertura inicia às 20h e será apenas para convidados.

Logo no início da solenidade autoridades, artistas, ex-diretores, escritores, personalidades da cidade e ex-funcionários do teatro visitarão a Exposição Alusiva aos 200 anos do Teatro Arthur Azevedo que reúne peças, objetos, gravuras e plantas da casa de espetáculo. O trabalho de pesquisa durou cerca de um ano e meio com visitas a personalidades, buscas no acervo do teatro, viagem para o Rio de Janeiro para visitar a Biblioteca Nacional e outros espaços de cultura nacional. A curadoria da exposição é de Carolina Ramos com ajuda dos pesquisadores Anderson Oliveira, Ângela Pereira e Magnólia Everton Costa.

João do Vale ao lado de Gonzaguinha

Também durante a visita à Exposição os convidados prestigiarão cópias da coleção de gravuras de Arthur Azevedo. Além disso, no camarim nº 1, em que em 1854 nasceu a atriz Apolônia Pinto, também será montada uma homenagem à atriz com peças que falam sobre a vida da personalidade maranhense, tais como o livro “Apolônia Pinto e seu tempo”  de José Jansen.

 A Exposição ocupará diversos espaços do Teatro Arthur Azevedo proporcionando um tour pela casa reformada. Ainda durante a Exposição será lançado o livro “Teatro Arthur Azevedo: 200 Anos” escrito por personalidades maranhenses e nacionais, ex-diretores e funcionários, artistas, políticos e historiadores, além de engenheiros, professores de teatro, cantores dentre outros profissionais.

O foyer também será espaço para o lançamento da coleção Teatro da joalheria Rosa Rio inspirado nos 200 anos do Teatro Arthur Azevedo.

Após a Exposição acontecerá a grande estreia do espetáculo João do Vale – O Musical, uma produção do Teatro Arthur Azevedo com realização do Governo do Estado do Maranhão e patrocínio da Cemar por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura.

A produção durou cerca de um ano e meio e conta com cerca de 40 profissionais envolvidos desde a técnica até os atores.

O ator que interpretará João do Vale é o maranhense Vicente Melo, morador do bairro do Lira, que desde a adolescência dedica-se a composição de músicas da cultura popular. O compositor já participou de diversos concursos como o Festival de Música Popular de Pinheiro e o Festival de Música Carnavalesca do Sistema Mirante. Segundo Vicente Melo ele já teria escrito mais de 90 canções, sendo 20 delas gravadas por artistas locais. Agora ele se sente feliz por ter a responsabilidade de interpretar o poeta do povo que em muito se assemelha.

Além de Vicente Melo, também estão no elenco: Tiago Andrade (Zé Keti), Gisele Vasconcellos (Nara Leão), James Pierre (Zé Gonzaga), Juliana Cutrim (Dorinha), Marconi Rezende (Chico Buarque), Millena Mendonça (Domingas) e Victor Silper (Luiz Vieira).

O espetáculo continua em cartaz nos dias 09, 10,15, 16 e 17 de dezembro. Os ingressos estão sendo vendidos na bilheteria do Teatro Arthur Azevedo das 14h às 18h45. Para mais informações acesse cultura.ma.gov.br/taa ou ligue 32189901.