Duarte e Rubens Jr são filiados ao Partido Comunista do Brasil e estão pleiteando a garantia do partido de ser o pré-candidato e em seguida, candidatos, a sucessão municipal na capital maranhense. Como um não vai ser vice do outro, os dois devem ser confirmados candidatos em partidos distintos, porém, da base do governo. Rubens Pereira Jr tem uma identificação umbilical com o PCdoB, onde foi militante e se elegeu deputado ainda muito jovem.

Já Duarte Jr, a ligação dele com a sigla é sua aproximação com o governador Flávio Dino (PCdoB), a quem o ex-presidente do Procon tem uma gratidão e expressa em sentimento publicamente. Por Rubens ser preferência no PCdoB e Duarte ter condições de disputar a prefeitura de São Luís, a “frente ampla de candidatos” deve contar com a presença dos dois.

Duarte já iniciou as conversas com o PRB do vice-governador Carlos Brandão e no futuro deve ser confirmado pré-candidato pelo PRB. Uma competitiva candidatura pelo partido do vice-governador pode fortalecer Brandão para a disputa de 2022, onde Brandão quer disputar uma virtual reeleição ao governo, se Flávio Dino renunciar antes do fim do mandato para se candidatar ao Senado Federal ou (vice) Presidência da República.

Durante a gravação do programa Diálogos do Rangedor, apresentado por Yglésio, o coronel Monteiro apontou um defeito e uma qualidade do governador Flávio Dino. Depois de responder a mesma pergunta sobre o presidente Jair Bolsonaro (PSL), o auxiliar de Bolsonaro no Maranhão disse que o defeito do governador era por ser “arrogante”. Perguntado pelo apresentador para apontar uma qualidade, o coronel não titubeou: “honesto”.

Mesmo sendo honesto, Monteiro não votaria em Flávio Dino (PCdoB) caso fosse candidato à Presidente da República. Na visão de Monteiro, Flávio Dino não seria capaz de unificar o Brasil.

O programa vai ao ar na próxima segunda-feira, 9 de setembro, na TV Guará (23.1 HD) às 22h:30.

As articulações visando a sucessão municipal de 2020 em São Luís continuam a pleno vapor. A mesma dificuldade que o PCdoB está tendo para resolver entre Rubens Júnior e Duarte Júnior quem será o candidato do partido está sendo enfrentada pelo PDT com os pré-candidatos Osmar Filho, presidente da Câmara Municipal de São Luís, e o deputado estadual Dr. Yglésio Moisés.

Ciente das dificuldades que terá que enfrentar para retirar o presidente da Câmara Municipal do páreo, Dr.Yglésio, em conversa com jornalistas nesta manhã de terça-feira (3), no plenário da Assembleia Legislativa, após a sessão, disse que já comunicou oficialmente ao PDT que não abre mão de disputar o mandato de prefeito e garantiu que já tem um pequeno partido disposto lhe acolher e garantir a legenda para disputar a eleição.

Questionado se o PDT estaria disposto a lhe liberar sem o risco da perda do mandato, Yglésio mostrou segurança de que não terá problema. “O senador Weverton Rocha é um político de grupo e eu vou continua no mesmo grupo, apenas quero ter o direito de disputar essa eleição que está completamente aberta”, observou.

O parlamentar, no entanto, não informou qual partido estaria disposto a lhe garantiu a legenda para disputar a prefeitura, fez mistério e não revelou a sigla, disse apenas tratar-se de um pequeno partido.

Atualmente, Osmar Filho estaria em situação favorável, pois conta com a simpatia da grande maioria da cúpula do partido, de vários vereadores e espera chegar até o final do ano bem posicionado nas pesquisas para poder se consolidar como candidato na convenção.

Yglésio, no entanto, prefere não pagar pra vê Osmar Filho atingir índices aceitáveis até a data limite estabelecida pela direção partidária e já se articula para participar do pleito por outra legenda, sinal de que o presidente da Câmara Municipal está em posição privilegiada com os pedetistas de proa.

Fonte: blog do Jorge Vieira

O piloto maranhense, Marcelo Medeiros, mais uma vez levantou a Taça do Rally dos Sertões alcançando, nesta edição, o tricampeonato. 
Neste domingo, os pilotos largaram de Crateús (CE) e cumpriram a última e mais rápida especial, de 18 Km, até as dunas de Aquiraz (CE). Marcelo finalizou a etapa em 12min29seg . O título foi comemorado em Aquiraz (CE), última cidade do roteiro dos Sertões 2019.
Após 8 duríssimas especiais realizadas na 27ª edição, que ultrapassaram 2800 Km, o piloto Maranhense somou 39h10min39seg no acumulado, uma folga de 20 horas do segundo colocado, #107 Milton Martens, com 59h56min07seg. O menor tempo fez do piloto campeão da edição de 2019 dos Sertões. 
“Graças a Deus, em 2019, nós fomos tricampeões. Foi um ano difícil, com especiais longas, mas eu tive muito foco e determinação para conseguir esse tricampeonato”, comemora o piloto. 
Marcelo Medeiros, que veste as cores da equipe Taguatur Racing Team, é patrocinado pela FC Oliveira, através da Lei de Incentivo ao Esporte do Governo do Maranhão. O piloto destaca o empenho de todos os envolvidos nesta vitória. “Não fui só eu o campeão, mas toda a equipe. Sem a equipe eu não teria como chegar na cidade, não tem como chegar na largada. Então eu dedico essa vitória para a toda equipe, inclusive a do Maranhão que estava na torcida por mim”, destaca o quadriciclista. 
Foram oito dias de competição dos Sertões 2019 com largada inédita na cidade de Campo Grande (MS), no dia ‪24 de agosto, e chegada com areia e mar no Beach Park, no Porto das Dunas, na cidade de Aquiraz (CE), no dia ‪1 de setembro. Durante a maratona, os pilotos percorreram seis estados: Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Tocantins, Piauí e Ceará e nove cidades e encararam as mais diferentes condições de terrenos do sertão brasileiro.No total, foram percorridos 4.887 km, sendo 2.858 km de especiais (trechos cronometrados) em um roteiro cheio de desafios: trechos sinuosos, terrenos de cascalho, piçarra, pedras grandes e lajes além de poeira, lama, calor e umidade.
Marcelo venceu seis das oito etapas desta edição. Na trajetória pelos Sertões e com a taça deste ano, Marcelo Medeiros coleciona os títulos em 2012, 2015, 2019 e vice em 2013.

Resultado dos Sertões 2019 ( QUADRICICLOS):
1º) #102 – Marcelo Medeiros, Taguatur Racing Team, 39h10min39seg
2º) #107 – Milton Martens, Martens Rally Team, 60h516min32seg
3º) #101 – Wescley Dutra, Girão Racing, 59h32min47seg
4º)#105 – Giovanni de Castro, BPM Racing Team, 73h18m15seg
5º) #106- Fábio freire, 118h24min20s

Durante sessão solene que concedeu medalha Manoel Beckman à cantora Alcione, a maranhense ao final da solenidade pregou a união dos maranhenses. “Com os maranhenses todos unidos podemos ir muito longe. E vocês sabem do que estou falando”, profetizou Alcione.

Os elogios de Alcione aconteceram depois do governador Flávio Dino (PCdoB) fazer um discurso em que agradecia o fato de Alcione ter defendido o Maranhão no episódio que Jair Bolsonaro chamou o Nordeste de Paraíba.

Em tempo: A cantora Alcione não deixou de fazer reverência ao ex-presidente José Sarney e a sua filha, Roseana Sarney. (Foto: Raillen Martins)

O senador maranhense Roberto Rocha (PSDB) será o relator na Comissão de Constituição e Justiça do Senado Federal do projeto de lei que separa o Maranhão em dois. A proposta é que se realize uma consulta popular (plebiscito) para saber se o maranhense quer o Maranhão e Maranhão do Sul.

A proposta é do senador Siqueira Campos (DEM), responsável pela criação dos estados do Tocantins e Amapá. O relator Roberto Rocha é a favor do projeto e o seu relatório deve ser pela aprovação do projeto de Campos.

Doenças psicológicas e distância da família são os principais motivos que levaram a Justiça conceder liminares para que alunos que não passaram pelo tradicional processo seletivo da Universidade Estadual do Maranhão fossem matriculados no Curso de Medicina da UEMA (Campus Caxias). A denúncia de alunos e professores chegaram ao conhecimento do gabinete do deputado estadual Dr. Yglésio (PDT).

Diante o exposto, o parlamentar maranhense acredita que a instalação de uma Comissão de Parlamentar de Inquérito (CPI das Transferências Universitárias) é a melhor alternativa para investigar essas transferências externas que tem como alvo o curso de medicina da UEMA.  O deputado Dr. Yglésio já colheu 15 assinaturas para abertura da CPI e o requerimento deve ser protocolado nos próximos dias.

DENUNCIA NO CURSO DE MEDICINA UEMA:Doenças psicológicas e distância da família são os principais motivos que levaram a Justiça conceder liminares para que alunos que não passaram pelo tradicional processo seletivo da Universidade Estadual do Maranhão fossem matriculados no Curso de Medicina da UEMA (Campus Caxias). A denúncia de alunos e professores chegaram ao conhecimento do gabinete do deputado estadual Dr. Yglésio (PDT). O DEPUTADO YGLÉSIO FEZ USO DA TRIBUNA DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA PARA FALAR DO CASO!!

Posted by São Luís Notícias on Wednesday, August 28, 2019

Os universitários, segundo a denúncia, são alunos de faculdades e universidades estrangeiras que estão sendo matriculados no curso de Medicina da UEMA extrapolando a capacidade de cada turma que é de 35 alunos. Há turmas superlotadas com as decisões proferidas. Importante destacar que não há edital que garanta a transferência externa de alunos. “Não é menosprezar o problema de depressão. Mas quando você tem 17 decisões no mesmo sentido, todas as medidas liminares concedidas pelo mesmo magistrado. Nós começamos a ver problema em um curto horizonte”, disse o deputado Dr. Yglésio (PDT) em tribuna.

O parlamentar destacou que a UEMA não pode ser vítima de sucateamento do ensino superior, em especial no curso de medicina. “As universidades têm que estar preparadas para receber os estudantes e isso demanda infraestrutura. Tem que ter laboratório suficiente para os estudantes. Garantir uma estrutura que seja compatível com a quantidade de alunos.”, defendeu Yglésio.

Deputados da Assembleia Legislativa do Maranhão se reuniram na sala da Presidência da Casa, entre o final da manhã e início da tarde desta terça-feira 27, para tratar sobre a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que garante a efetivação das emendas parlamentares.

Segundo apurou o ATUAL7, a matéria já conta com o apoio de todos os 42 deputados da Alema, restando apenas acertar os últimos detalhes sobre o texto a ser apresentado e aprovado pelas comissões e em plenário, em relação ao percentual obrigatório da RCL (Receita Corrente Líquida) no primeiro ano de vigência da PEC e ao escalonado no ano seguinte ao da promulgação da proposta.

A nova iniciativa para tornar impositivas as emendas dos parlamentares está sendo encabeçada pelo deputado Yglésio Moyses (PDT), integrante da base do Palácio dos Leões na Assembleia Legislativa, que articulou o apoio de quase 20 deputados governistas, principalmente novatos.

Com o aval de Othelino Neto, o governador Flávio Dino ainda não se intrometeu na discussão. E nem deve

O avanço ocorre, porém, em razão da PEC contar com o apoio do presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto (PCdoB). Ao ATUAL7, ele confirmou a reunião com os deputados, com o objetivo de chegar a um texto consensual. “Estamos dedicados a chegar a um termo que permita aprovar”, declarou.

Antes de Yglésio Moyses, já lutaram pela aprovação das emendas impositivas, mas sem sequer passar das articulações para recolhimento de assinaturas necessárias para o início das discussões – o total de 14 –, os deputados César Pires (PV), por diversas vezes, e o deputado Wellington do Curso (PSDB), ambos de oposição à gestão de Flávio Dino (PCdoB).