A Prefeitura Municipal de São Luís convoca os aprovados do concurso de Cuidador Escolar no EDITAL DE CONVOCAÇÃO TÉCNICO MUNICIPAL NÍVEL MÉDIO NÍVEL VII A ESPECIALIDADE CUIDADOR ESCOLAR.

A convocação por meio da Secretária de Administração do Município de São Luís convocou os aprovados. De acordo com o comunicado publicado no site da prefeitura os convocados precisam comparecer à Perícia Médica do Município dos dias 21 de agosto à 06 de setembro e na Secretária de Administração do dia 28 de agosto à 11 de setembro.

Você pode conferir a lista de aprovados neste link aqui.

 

 

 

 

 

Estado quebrado

Em visita à Caxias, o Governador do Maranhão, Flávio Dino (PC do B), afirmou para o prefeito Fábio Gentil (PRB) que o estado está quebrado. Nas palavras do governador as torneiras estão fechadas e é por falta de água. “Nós vivemos um tempo de vacas muito magrinhas. Tem hora que a gente nem acha vaca. No tempo da vaca magra é que era bom. Tem hora que a vaca foi embora mesmo. Não tem a gorda, não tem a magra, não tem nenhuma. Então, essa é a realidade da prefeitura, é a realidade do governo também”., brincou (sic) Flávio Dino.

Deus proverá

Segundo o governador ele tem a solução para o problema. Nas reuniões com a pasta de planejamento do estado do Maranhão quando indagado de onde virá o dinheiro, ele confessou que responde: “Deus proverá”

Assembleia do Deus

Agora está explicado os vários empréstimos autorizados pela Assembleia Legislativa do Maranhão, sem nenhum questionamento mas atendendo aos interesses do fiel governo. A última investida foi agora depois da declaração de estado quebrado, Dino quer a autorização da “Assembleia” para renegociar os R$ 2 bilhões do BNDES.

Quem paga a conta

O deputado estadual Adriano Sarney (PV-MA) quer que escolas comunitárias fique livre do pagamento de conta de água e energia elétrica. O projeto de lei número 176/2017 de autoria do próprio deputado tramita na Assembleia Legislativa e está na apreciação das comissões técnicas. Adriano só não explicou de onde virá o dinheiro para pagar a Caema e a Cemar. Deus proverá?

Patriotas

O deputado federal Jair Bolsonaro deve chegar no Partido Ecológico Nacional (PEN) com a bola toda. A saída de Bolsonaro do PSC, entre outras razões, foi o alinhamento do partido com o governo do comunista Flávio Dino. Ele, porém, esqueceu que o PEN faz parte da base aliada do governo do Maranhão. O assunto ainda não foi colocado em pauta pelo deputado que está fazendo “lista de exigências” para se filiar ao partido. O PEN passa a se chamar Patriotas, a pedido de Jair Bolsonaro.

Entre Dória e a Espada

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), não sabe se tem ao lado um aliado ou um afilhado político traidor. O prefeito de São Paulo, João Dória (também, PSDB), jura fidelidade ao seu tutor mas as movimentações do prefeito mostra que ele ensaia um protagonismo para ser o candidato do partido no pleito nacional de 2018. No entanto, para reforçar a imagem, de que “se depender de mim, não serei candidato”, Dória gravou um vídeo ao lado do governador de São Paulo. Mas o que chamou atenção de muitos internautas foi o enquadramento dos dois no vídeo. (imagem abaixo)

 

 

​O governo do presidente Michel Temer não anunciará as novas metas fiscais para 2017 e 2018 nesta segunda-feira em meio a indefinições que ainda persistem sobre receitas e despesas que vão compor o rombo primário, segundo fontes com conhecimento direto do assunto.

Uma das fontes pontuou que a intenção da equipe econômica é manter a cautela para assegurar que os números não precisem ser novamente revistos, como já ocorreu com a meta de 2018 mais cedo neste ano.

Ainda não há definição concreta sobre quando haverá o anúncio, mas a segunda fonte destacou que a perspectiva é que a divulgação seja feita na terça-feira.

Até o momento, a ideia é que as metas subam para um déficit primário de 159 bilhões de reais neste e no próximo ano, ressaltando a dificuldade para a retomada do equilíbrio fiscal diante da fraqueza na arrecadação e incertezas sobre receitas extraordinárias.

As metas ainda vigentes para o governo central (Tesouro Nacional, Banco Central e Previdência) são de um rombo de 139 bilhões de reais em 2017 e de 129 bilhões de reais para o próximo.