Emenda à proposta pretende limitar a quantidade de motoristas Uber em São Luís.

A Câmara Municipal de São Luis fez uma consulta popular através de uma enquete lançada em seu ite e registrou que 91% das pessoas aprovam o serviço Uber em São Luís. O serviço em questão conecta motoristas particulares a passageiros. Ao todo foram contabilizados 1360 votos, 1.239 mil, equivalentes a 91%, se disseram que são à favor da regulamentação do Uber. Apenas 108 pessoas, equivalentes a 8%, se declararam contra. E 1% optou por não opinar.

Tramita na Câmara um projeto de lei para regularizar a atividade do Uber e aplicativos semelhantes. O projeto de lei é defendido pelo vereador Paulo Victor, em reunião na última segunda-feira, o parlamentar disse que sua proposta inicial ainda deve receber emendas para fechar algumas questões.


Emenda ao projeto de lei do vereador Paulo Victor pode sufocar o Uber; De 1.500 motoristas a ideia é diminuir para apenas 600 motoristas. Valor de tarifa tende a subir.


Na reunião feita no Palácio Pedro Neiva de Santana, sede do legislativo de São Luís, o encontro contou com a participação de vereadores, representantes do Ministério Público Estadual e membros do Sindicato dos Taxistas de São Luís.

O presidente do Sindicato dos Taxistas, Renato Teixeira, revelou que saiu satisfeito da reunião e que é importante que todas as partes sejam ouvidas. “Estamos aguardando até quinta-feira (hoje) para sentar com os representantes do Uber e sentar com a promotora em seu gabinete para finalizar o projeto com as ideias de taxistas e as dos motoristas Uber em busca de chegar a um denominador comum“, disse Teixeira.

Uma das propostas pode sufocar o Uber e prejudicar o consumidor

Hoje existem cerca de 1.500 motoristas cadastrados no serviço Uber em São Luís e uma das emendas combinadas na reunir seria diminuir para apenas 600 motoristas. O que isso pode significar na prática? O serviço de Uber não tem um valor tabelado como os táxis, o preço é de acordo com a demanda do serviço. O motorista pode receber mais ou menos por corrida, da mesma forma, o usuário tem horários que paga mais barato e horários que pode ter menos economia.

A medida que diminui a quantidade de motorista e a procura pelo serviço tende a ficar maior proporcionalmente, o serviço pode passar a não ser interessante para o usuário. E tem outra questão. Hoje existem 1.500 motoristas e será cortado, ou melhor, demitido mais da metade de quem hoje conta com uma renda principal (ou extra) do serviço.

Há necessidade também de entender como funciona o Uber. A população que aprovou o serviço com 92% dos votos não está sendo respeitada. O projeto, parece, que será aprovado mas com muitas ressalvas. Descaracterizado.

Logo que passou a eleição de 2016 as medidas de asfaltamento e recapeamento sumiram das ruas de São Luís. Mas agora a prefeitura lança um novo (sic) programa para resolver um velho problema. Com novo nome, o “Asfalto na Rua” promete melhorar a imagem do prefeito Edivaldo e também do governador Flávio Dino dentro da capital maranhense.

O programa é realizado com recursos municipais e o empurrão do “Mais Asfalto” do governo do estado do Maranhão. Serão 100 quilômetros de asfalto. Os serviços já foram iniciados, por exemplo, nos bairros do Anjo da Guarda e Gancharia. Mas uma pergunta que fica. O asfalto vai ser colocado por onde o “Mais Asfalto” já passou? A recuperação feita no período pré-eleitoral municipal já oferece sérios problemas em diversos pontos da cidade. Resta o prefeito explicar se será continuação de um trabalho ou recuperação do velho asfalto de novo.

Recuperação de via na frente do residencial Grand Park. O “Mais Asfalto” já passou por lá.

A recuperação asfáltica tem que ser contínua e com material de qualidade. O programa volta 10 meses depois, haja vista que foi paralisado logo após o resultado positivo nas eleições 2016. Aguardemos cenas dos próximos capítulos.