No mesmo dia que uma pesquisa de imagem aponta que Luciano Huck é o “presidenciável” com maior aprovação, na casa dos 60% de boa avaliação de imagem (veja aqui), ele revelou a amigos que não deve seguir com a ideia de ser candidato a Presidente da República nas eleições de 2018. Pelo menos dois partidos estavam interessados na filiação do artista global, o PPS e o DEM.

O PPS cogitou até mudar o nome para se aproximar de um grupo político apartidário (ou multipartidário), o Agora!, que Luciano Huck foi recentemente cooptado.

A amigos, Huck diz que não será candidato

Segundo informou a coluna da Monica Bergamo, o marido de Angélica comunicou a familiares e amigos próximos que não será mais candidato. Apesar de ter pensado na ideia, Huck nos últimos dias tem avaliado seguir na carreira política ou abandonar o seu programa de TV na Rede Globo e os contratos milionários com os maiores anunciantes do Brasil.

O jornalista Gilberto Dimenstein em sua página no Facebook disse que Luciano Huck nos próximos dias vai se pronunciar definitivamente sobre o tema nos próximos dias.

Pelo menos por enquanto, a ex-subsecretária de Saúde Rosângela Curado, está livre da prisão. A suplente de deputada federal, Rosângela Curado (PDT), obteve um habeas corpus no Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1).

A decisão foi tomada pelo maranhense e desembargador federal Ney Bello, membro da Terceira Turma do TRF-1.

Rosângela foi presa pela Operação Pegadores da Polícia Federal que investiga desvios na ordem de R$ 18 milhões na Secretária Estadual de Saúde do Maranhão.

Apesar de ter sido exonerada em 2015 dos quadros do Governo do Maranhão, Rosângela Curado, até então, era aliada de primeira hora do governador Flávio Dino. Agora Curado estará livre para desempenhar sua defesa.